Tendências mundiais do emprego juvenil 2017

Foi publicado  um relatório da OIT sobre  «Tendências mundiais do emprego juvenil 2017».

Neste relatório, a OIT considera especialmente grave a situação dos trabalhadores jovens não obterem recursos suficientes que lhes permita ter uma vida digna, embora tenham um emprego, alertando para a elevada taxa de trabalhadores jovens , entre os 15 e os 24 anos,   em situação de pobreza nos países desenvolvidos, nomeadamente na União Europeia (UE), associando esta situação à falta de emprego de qualidade e à precariedade.

Para a Organização Internacional do Trabalho, o desafio do trabalho entre os jovens reside na qualidade do trabalho e do emprego. Neste contexto, é necessário investir mais na Educação de qualidade, uma vez que “ quanto mais tempo uma pessoa estuda, mais breve será o seu período de transição até ao emprego”.